Image Map

10 de jul de 2014

Resenha: Cidades de Papel


E aíiii pessoal, tô sumida por aqui rs. Mas é por uma boa razão, voltei a trabalhar (aêeee!!). E também porque eu não sei o que aconteceu com o cartão de memória da minha câmera, então não estou tendo como fotografar meus D.I.Y, o que também explica o fato de eu ter roubado as fotos do blog Just Carol, eu sei que nada justifica, mas juro que roubei somente as fotos, porém, estou dando os devidos créditos.
Bem, a ideia era mostrar o look que eu usei na copa né, maassss, agora nem tem mais graça rs. (e eu não fotografei, já expliquei :x)


Enfimmmm, vamos direto ao assunto.  Que John Green é um escritor incrível não temos dúvidas, escreveu um dos melhores livros que eu já li (A Culpa é das Estrelas), e váaarios outros. Acabei despertando um grande interesse em seus livros. Seu modo de escrever é hipnotizante, não consegui  mais desgrudar os olhos do livro Cidades de Papel e acabei lendo em menos de dois dias.
A história fala sobre Quentin Jacobsen, um menino no seu ultimo ano do ensino médio, e não é muito fã de formaturas. Tipo comum que não é popular mas tem amigos que estão sempre ao seu lado. É apaixonado pela enigmática vizinha popular Margo Roth Spielgelman a qual fora sua amiga durante toda sua infância, mas se separaram desde que encontraram um homem morto em um parque enquanto andavam de bicicletas. Mas, "Q" nunca a esqueceu.


Margo por sua vez, é uma menina popular, cheia de aventuras que costumam dar trabalho aos pais com suas fugas cheias de pistas e esconderijos. Toda determinada, não tem medo de nada e tem um jeito único de enxergar a vida. Ela é uma personagem marcante, dessas que te deixam com inveja por sua bravura. 
E é toda essa determinação e bravura que leva Margo a aparecer na janela de Q depois de muitos anos, com a cara toda pintada de preto convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. 
— Hoje, meu bem, vamos acertar um monte de coisas que estão erradas. E vamos estragar algumas que não estão certas. Os últimos serão os primeiros; e os primeiros serão os últimos; os mansos herdarão a terra. Mas, antes de redefinir completamente o mundo, precisamos fazer compras. (página 38)


Essa aventura muda totalmente o modo que Quentin tem de enxergar a vida, e desperta nele um sentimento ainda maior por Margo. Certo de que iria encontrá-la no outro dia na escola, se decepciona ao saber que ela mais uma vez havia desaparecido, só que dessa vez, as pistas de pra onde ela iria foram direcionadas a Quentin, que junto com seus amigos resolvem desvendar esse mistério e não medem esforços para encontrá-la.


O livro é cheio de ação no começo, prende sua atenção e te faz se apaixonar pelos personagens. No meio você já está tão envolvido que se sente parte da investigação e quer encontrar Margo mais que Quentin e, cada detalhe é válido. Vale a pena a aventura, mais uma vez John conseguiu fazer com que sua leitura despertasse nossas emoções, dessa vez nos apegamos a Margo e não queremos que nada de mal aconteça a ela e vamos junto com Quentin a sua procura. 
Se você é do tipo que gosta de livros de mistérios então pode apostar neste livro :)